Quando as emoções adoecem

Para os chineses não existe uma doença, mas sim um doente que necessita de tratamento para equilibrá-lo. Na Medicina Chinesa, o ser humano é um sistema equilibrado e integrado entre corpo, mente e espírito. Cada uma das partes age sobre as demais, modificando-as para melhorar sua saúde ou, ao contrário, para causar doenças. O Sistema Nervoso Central recebe todos os estímulos externos. Estes são armazenados na memória, local cujas experiências positivas e negativas podem provocar emoções boas ou ruins. A vida intra-uterina também é um meio onde se vivencia vários tipos de emoções. Além disto, experiências como o nascimento, a infância, a adolescência, a vida adulta, o declínio da juventude, a menopausa e a andropausa também ficam armazenados na memória. É esta bagagem que rege o indivíduo de forma geral. A mente possui outra característica: tudo o que se imagina pode torna-se realidade. Ao imaginar-se doente, fica-se doente. Ao ver-se feio, torna-se feio. Com o tempo, começam a aparecer as doenças.

O indivíduo expressa no corpo e na mente as insatisfações de sua vida. Problemas na pele, disfunções alimentares, baixa auto-estima, ansiedade, angústia, tristeza e depressão são algumas das doenças causadas pelo pensamento destrutivo. A acupuntura é uma das formas de tratamento da Medicina Chinesa utilizada para equilibrar e harmonizar a energia perdida na doença. Seu objetivo é equilibrar as emoções e, consequentemente, aumentar a auto- estima, a qualidade de vida e a saúde do indivíduo. Valorizar-se, cuidar de si mesmo, admirar-se é um sentimento positivo. Por isso, é fundamental o respeito à percepção corporal, mental e espiritual. E este é um dos objetivos da Medicina Chinesa.

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *